Lei de Incentivo ao Esporte

Fonte: Lance!

Dia Nacional do Futebol

Paixão nacional, o Futebol é inegavelmente o esporte mais consumido e praticado entre os brasileiros de todas as regiões. Criado no final do século XIX, essa modalidade esportiva passou por diversas adaptações e grandes processos de modernização para chegar aos moldes que acompanhamos hoje em dia. Patrocínios milionários, multidões nos estádios e nas ruas, recordes de audiências televisivas, ascensão social, etc. Vários são os fatores que justificam o porquê do futebol não ser apenas um esporte. 

O impacto dessa modalidade na vida das pessoas é notório. O trabalhador que foi ao estádio no fim de semana e vê seu time perder fica, por dias, chateado e com raiva. O contrário também ocorre: ver seu time vencer pode alegrar toda a semana que está por vir até a próxima partida a ser disputada. O esporte bretão é intenso, emocional e financeiramente..

História do Futebol 

Desde seus primórdios, o futebol já levava multidões aos estádios. Fonte: Sports Illustrated

 

Devido à falta de regras estabelecidas e um regulamento definido, o futebol nos seus primórdios era muito violento. A violência era tanta que a Coroa Inglesa chegou a proibir sua prática no território inglês. Anos depois, após liberação legal para a prática esportiva, surgiu, em 1863, a Football Association, responsável por delimitar as primeiras regras do futebol no mundo. 

Na década de 1870, pela falta de jogadores nas equipes, os donos das fábricas convidaram os trabalhadores a jogarem o esporte. A partir daí, o futebol passou a ser praticado não somente pela burguesia, mas também pela classe operária inglesa. Isso foi o suficiente para popularizar ainda mais o esporte com a bola nos pés. 

Futebol no Brasil

Charles Miller foi o pai do futebol no Brasil. Fonte: Wikipédia

 

Em 1894, Charles Miller, um jovem filho de britânicos, trouxe consigo bolas e as regras do futebol após um intercâmbio em Southampton, na Inglaterra. Em um primeiro momento, a modalidade era praticada por pessoas mais ricas, que tinham tempo livre em sua rotina para praticar algum esporte. Nessa época, também, o futebol era proibido para negros e pouco praticado pela classe operária. 

Mesmo assim, com todas essas proibições e preconceitos, o futebol foi ganhando adeptos de forma exponencial. Hoje em dia, tornou-se uma paixão nacional e presença quase unânime nas aulas de educação física e praças esportivas de todo o país!

Futebol Feminino no Brasil

 

Marta é a jogadora com mais gols pela Seleção Brasileira. Fonte: E!

Os primeiros registros de um jogo entre duas equipes de futebol feminino foram em em 1921, entre senhoritas dos bairros Tremembé e Cantareira, na zona norte de São Paulo, conforme noticiado pelo jornal A Gazeta. Treze anos antes dessa data, em 1908, constatou-se que partidas mistas, entre homens e mulheres, aconteceram nos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo. 

Em 14 de Abril de 1941, durante o governo do presidente Getúlio Vargas, foi instaurado o Decreto-Lei 3199, proibindo a “prática de esportes incompatíveis com a natureza feminina”, entre eles o futebol. Este decreto-lei foi revogado em 1979.

Entretanto, embora já tenham se passado mais de 40 anos da revogação desse Decreto-Lei, o futebol feminino ainda luta contra a falta de investimento financeiro e o preconceito da sociedade. A partir disso, projetos sociais fomentados pela Lei de Incentivo ao Esporte são de suma importância para a democratização do futebol para todos os gêneros e classes sociais.

Por que dia 19 de julho?

O dia 19 de julho é considerado o Dia Nacional do Futebol. Na época, a Confederação Brasileira de Desporto (CBD), a precursora da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) escolheu essa data para homenagear a data de fundação do primeiro clube de futebol no Brasil. Em 19 de julho de 1900, foi inaugurado o Esporte Clube Rio Grande, no Rio Grande do Sul. 

Parabéns aos nossos parceiros!

A Lei de Incentivo ao Esporte estrutura o esporte nacional. Fonte: Sindiclubes PR

 

É um prazer fazer parte destes projetos tão importantes para a estruturação do futebol nacional. Com fomento da Lei de Incentivo ao Esporte, conseguimos beneficiar centenas de crianças e adolescentes por todo o Brasil. Juntos, proporcionamos a eles a experiência única e prazerosa que é jogar o esporte mais amado do país!

Uberlândia Esporte Clube 

Um dos mais tradicionais clubes de Minas Gerais, o Verdão Uberlandense é uma potência no futebol estadual. O Uberlândia chegou a conquistar a  Taça de Prata de 1984, a Série B do futebol brasileiro na época, sem contar as diversas aparições e bons desempenhos no Módulo I do Campeonato Mineiro

Instituto Bola Preta

Hoje em dia, o Instituto Bola Preta é uma instituição sem fins lucrativos que utiliza o futebol como uma forma de garantir a inserção social, evitar o sedentarismo e obesidade infantil e promover a qualidade de vida. Atualmente, o projeto social conta com mais de 400 beneficiados, entre 7 e 17 anos de idade.

Montes Claros

Mantendo a mesma seriedade e dedicação ao esporte que o time de vôlei (América Vôlei), o Montes Claros, em breve, possuirá projetos que forneçam a crianças e adolescentes, a oportunidade de praticar o esporte mais popular do Brasil. 

Porto Vitória Futebol Clube

Exemplo de responsabilidade financeira e formação juvenil, o Porto Vitória já é referência nas categorias de base do futebol capixaba, revelando jogadores a grandes equipes do futebol nacional. 

Nacional Esporte Clube

Fundado em 2008, o Nacional já entra na lista dos tradicionais clubes de Minas Gerais, estando recorrentemente na elite do futebol mineiro. 

Ubaense

Original da cidade mineira de Ubá, a Associação Esportiva Ubaense se destaca por ser um bem estruturado centro de revelação de atletas para o futebol regional e nacional. 

Rede Incentive

A crescente de resultados do Brasil se dá muito em função dos investimentos vindos da Lei de Incentivo ao Esporte (LIE). Para saber um pouco mais sobre a LIE e o nosso trabalho nesse campo, confira aqui.

Olimpíadas Tóquio 2020

Dia do Esporte Olímpico

No dia 23 de junho, é comemorado o Dia Internacional do Esporte Olímpico, em homenagem à criação do Comitê Olímpico Internacional (COI), no mesmo dia de 1894. A data comemorativa é usada como uma forma de difundir o espírito olímpico e esportivo em todo o mundo, independente das diferenças entre os povos. 

Popularizado como o “Dia Olímpico”, o 23 de Junho, para o COI, serve como oportunidade para difundir as atividades esportivas, educacionais e culturais para as pessoas interessadas e engajadas com o movimento. 

Olimpíadas: um breve relato

Segundo a mitologia grega, Hércules foi o responsável por criar as Olimpíadas, a partir de um dos Doze Trabalhos de Hércules. O quinto trabalho, em específico, consistia em limpar as estrebarias de Augias, rei da Élida, que estava há mais de 30 anos sem uma limpeza. Para executar o trabalho, Hércules cobrou um décimo do valor do castelo de Augias pelo serviço, que não foi pago. Como vingança, o semideus saqueou todo o reino e usou o dinheiro para organizar os jogos em homenagem a Zeus, seu pai.  Os jogos eram realizados na cidade de Olímpia, daí o nome “Olimpíadas”

Com o fim da Grécia Antiga, a prática das olimpíadas caiu no esquecimento e, por séculos, não se ouviu falar em um torneio único que reunisse, ao mesmo tempo, diversos esportes e modalidades em formato de competição. Até que, na década de 1890, surge o aristocrata suíço Pierre de Fredy. 

O Barão de Coubertin, como ficou conhecido na época, era um grande entusiasta de retomar o conceito das Olimpíadas Gregas e financiou um festival esportivo para estimular a prática entre os jovens daquele contexto. Dessa forma, viu-se a importância de formular uma organização internacional que fosse responsável por garantir a execução dos jogos e a difusão da “paz entre as nações”. No verão de 1896,  com o financiamento de Barão de Coubertin, foram realizados os primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, em Atenas, capital da Grécia. 

O Brasil nas Olimpíadas

Em toda a história das Olimpíadas (1896-2020), o Brasil esteve de fora em apenas  seis oportunidades: as cinco primeiras edições, de 1896 até 1912 e, depois disso, esteve ausente em 1928, nos jogos de Amsterdã. Ao todo, o nosso país soma 22 participações, em 28 edições dos Jogos Olímpicos de verão na história. 

A primeira participação brasileira nos Jogos Olímpicos aconteceu na cidade belga de Antuérpia, em 1920. Já naquela ocasião, o Brasil conquistou a sua primeira medalha olímpica: um bronze com a equipe de pistola 50m. Nesta mesma oportunidade, o atleta Guilherme Paraense conquistou a primeira medalha de ouro na pistola de tiro rápido 25m – 60 tiros. 

Guilherme Paraense

Fonte: BRASIL DE OURO – Guilherme Paraense (1920)

 

 

 

De lá pra cá, o Brasil já soma 129 medalhas, sendo 30 de ouro, 36 de prata e 63 de bronze. Desde as medalhas dos brasileiros na Bélgica, a delegação brasileira só ficou de fora do pódio nos anos de 1924, em Paris, 1932, em Los Angeles e 1936, em Berlim. Jogando em casa, nas Olimpíadas RIO 2016, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) fez a sua melhor campanha na história dos Jogos Olímpicos, ao conquistar 19 medalhas no total, sendo sete ouros, seis pratas e seis bronzes.   

Entre essas grandes conquistas, figuras e momentos se tornaram icônicos para os amantes do esporte nacional. Não há como desconhecer a história de Vanderlei Cordeiro de Lima que, nos Jogos de Atenas 2004,  foi atrapalhado por um espectador da prova, tirando aquele que seria mais um ouro olímpico na edição:

Vanderlei Cordeiro

Fonte: DW

Vanderlei Cordeiro

 

 

 

O inesquecível momento da conquista do primeiro ouro olímpico para o boxe brasileiro.  Robson Conceição vence o francês Soufiane Oumiha em casa, no Rio 2016:

Robson Conceição

Fonte: Globo Esporte (REUTERS/Peter Cziborra)

Robson Conceição

 

 

 

E a grande paixão nacional: em 2016, no Rio de Janeiro, quando os brasileiros conquistaram a tão sonhada e esperada medalha de ouro olímpica no futebol:

Neymar e WevertonFonte: Globo Esporte

 

 

 

Para as Olimpíadas Tokyo 2020, o Brasil, até o momento, já conta com mais de 270 atletas classificados, distribuídos em 37 modalidades esportivas distintas, somando as femininas e masculinas. 

Brasil nas Paralimpíadas

Para Tóquio 2020, o Brasil se mostra ser uma potência no esporte paralímpico. O rendimento do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) vem crescendo exponencialmente na conquista de medalhas, bem como no número de atletas classificados para a disputa dos torneios. Nos Jogos Rio 2016, o Time Brasileiro conquistou 72 medalhas, ficando em 8° lugar geral no quadro de medalhas daquele ano. Na história, os paratletas brasileiros foram responsáveis pela conquista de 301 medalhas no total, sendo 87 de ouro, 112 de prata e 102 de bronze.

Tokyo 2020

A pandemia do novo Coronavírus foi responsável por atrapalhar os planos pessoais de bilhões de pessoas e no mundo dos esportes não foi diferente. Inicialmente, as Olimpíadas seriam realizadas entre os dias 24 de julho e 9 de agosto de 2020. As Paralimpíadas, por sua vez, aconteceriam entre os dias 25 de agosto e 6 de setembro do mesmo ano. 

Em função da crise sanitária global na qual o mundo se encontrava, o Comitê Olímpico Internacional e as autoridades japonesas decidiram por adiar as Olimpíadas e Paralimpíadas de 2020. Após muito esforço e inúmeras conferências telefônicas, os representantes do COI e do governo local marcaram uma nova data para a realização de um dos mais importantes eventos esportivos do mundo. Quase um ano após a primeira data oficial, as Olimpíadas Tokyo 2020, agora, serão realizadas entre  os dias 23 de julho e 8 de agosto de 2021. As Paralimpíadas Tokyo 2020 acontecerão no período de 24 de agosto até 5 de setembro. 

Uma razão para o adiamento do evento versus o cancelamento dos Jogos está nas cifras bilionárias que envolvem todo o procedimento Olímpico. Os economistas japoneses estipulam que, caso fosse cancelada, as Olimpíadas Tóquio 2020 seriam responsáveis por um prejuízo de R$87 bilhões para o governo japonês. Só de investimento em infraestrutura, o Japão depositou mais de 125 bilhões de reais para deixar a capital japonesa preparada para receber um evento de tamanho porte, afinal, esperava-se mais de 5 milhões de turistas, espalhados pelas 43 localidades que hospedarão o evento.

Curiosidades das Olimpíadas 

  • De 1912 até 1948, escultores, pintores, arquitetos, músicos e escritores competiam; em suas áreas de atuação por uma medalha nos Jogos Olímpicos;
  • Os Jogos Olímpicos já foram sediados em 23 países distintos;
  • As Olimpíadas RIO 2016 foram as primeiras realizadas na América Latina;. 
  • A Tocha Olímpica já visitou o espaço;
  • Os jogos Olímpicos de Berlim, em 1926, não foram realizados por causa da Primeira Guerra Mundial; 
  • A Olimpíada de 1944, em Londres, também foi adiada por causa de uma guerra: a Segunda Guerra Mundial; 
  • A primeira Olimpíada televisionada via satélite foi em Tóquio, no ano de 1964;
  • Maria Lenk foi a primeira brasileira e a primeira sul-americana a participar de uma olimpíada. O fato aconteceu em 1932, na capital inglesa de Londres; 
  • Os Estados Unidos são o país com mais medalhas conquistadas nos Jogos Olímpicos: ao todo são 2522 medalhas, das quais 1022 são de ouro, 795 são de prata e 705 são de bronze;
  • As Olimpíadas de Tokyo 2020 foram as primeiras da história a serem adiadas. Contudo, duas Olimpíadas já foram totalmente canceladas. 

Rede Incentive

A crescente de resultados do Brasil se dá muito em função dos investimentos vindos da Lei de Incentivo ao Esporte (LIE). Para saber um pouco mais sobre a LIE e o nosso trabalho nesse campo, confira aqui.